quarta-feira, 4 de abril de 2012

penso... logo existo

5 comentários:

  1. em... apareceu a mais no texto. No entanto, imagine uma tela abstracta, olhe para ela e conclua, deduza, o que quiser... é toda sua.

    ResponderExcluir
  2. Há quem exista e não pense, não será portanto condição necessária para sobreviver . Já para se ser feliz, é mesmo preciso não ser muito inteligente. Tenho para mim que a felicidade é impossivel de atingir quando se pensa profundamente e em demasia. Quanto mais escavamos o pensamento e as coisas da vida, mais difícil será permanecer no contentamento. Pensar e existir é mais dificil que existir sem pensar...mas o mundo tem uma quantidade infinita de gente que não pensa e é essa gente que de facto vive em plenitude e sem desassossego. Por mim, gostaria de atingir esse nirvana e ser feliz mas creio que penso demais.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Concordo consigo, em pleno, Maria do Sol. Salazar, no seu tempo de governação, pretendia que as pessoas fossem o menos cultas possível, porque quanto menos dúvidas tivessem, melhor, menos contestariam. Por outro lado, acredita-se, que quanto mais ignorantes formos mais felizes seremos.Pensar, por outro lado, leva-nos a questionar o que nos rodeia e isso, naturalmente aflige-nos.Finalmente dizer que "penso, logo existo" é uma frase de "Descartes" que usurpei no sentido de querer dizer: "estou aqui, logo, contem comigo"
    CA

    ResponderExcluir