sexta-feira, 1 de agosto de 2014

POETA FINGIDOR

Queres a poesia que sinto?
Queres a paixão de um poeta?
Queres a loucura de que não minto?
Queres a verdade concreta?
Queres viver um sonho
De palavras gastas, já escritas?
Ou acreditar nas encriptas
Formas de amar?
Nos sentidos diversos
De quem gosta do que diz?
Que te olha com a ternura
Que sente por uma criança
Numa incondicional aliança
Por quem olhamos, petiz,
Gostamos, protegemos
E que nos leva ao amor?
Queres a poesia que sinto?
Queres a ilusão da minha dor?
CA
Nota:(com alterações ao original)

Nenhum comentário:

Postar um comentário